domingo, 28 de julho de 2013

ALUNOS DO CURSO DE TPD DO LUPE PICASSO APRESENTAM TRABALHO EM CLASSE

Os alunos da 2ª turma do Curso de Formação em Técnico em Prótese Dentária do Instituto Educacional Lupe Picasso de Santos, apresentaram em classe, na quarta-feira, 15/05/2013 os trabalhos propostos pela Disciplina de Legislação e Ética Profissional sob a orientação do professor Edélcio Anselmo.

Os alunos foram divididos em 3 grupos e num verdadeiro trabalho em equipe cada um assumiu a sua parcela de responsabilidade na pesquisa, discussão de conteúdo e elaboração dos trabalhos sobre os temas respectivos a cada grupo.

Ao Grupo1, formado pelos alunos Flavia Higa, Danielle Copello, Emanuella Almeida, Fabia Cristina e Rodrigo Borges, coube a responsabilidade de discorrer sobre a História da Prótese, desde a antiguidade até os dias de hoje.



A aluna Daniele Coppello, fez a exposição em nome do grupo que traçou um perfil histórico da Prótese Dentária, desde a antiguidade, iniciando pelos séculos IV e V A.C, passando pelos Egípcios que, também, realizavam próteses e estas são consideradas as raízes da tecnologia da prótese odontológica. o grupo fez uma parada na era romana, cujas próteses eram produzidas por técnicos e constavam de próteses removíveis, mas, havia, também, a prótese parcial fixa.  

Chegaram na era dos Maias, que, segundo a pesquisa do grupo, incrustavam com habilidade pedras em cavidades preparadas nos incisivos superiores e inferiores, e, em alguns casos, também, nos primeiros molares.

Segundo o trabalho, os Japoneses talhavam próteses em um único bloco em madeira, normalmente de árvores de aroma doce, como o bluxo, a ceregeira ou o damasqueiro. A apresentação relatou, ainda, a utilização do marfim, cuja técnica era muito mais difícil do que a feita em madeira, mas, sua durabilidade era curta.

Depois, em 1787, começou-se a utilizar o ouro estampado em modelos de gesso e dentes de porcelana em próteses totais. O trabalho ainda relata que a borracha vulcanizada foi o próximo para a confecção de próteses totais. chega, finalmente, ao século XX, quando, em 1927, surgiram no mercado as primeiras resinas acrílicas que começaram a ser utilizadas na confecção de próteses totais, popularmente chamadas de "dentaduras".





Aapresentação de Danielle foi concluída com a seguinte mensagem "Hoje conseguimos caracterizar a prótese para chegar o mais próximo da realidade, com tanto avanço são muitos os recursos para que isso aconteça".


Após a exposição de Danielle, a aluna Flavia Higa apresentou um pequena mesa clínica com algumas próteses e dentes esculpidos em madeira pelo aluno Rodrigo Borges Santos.
Vale dizer que essa foi a primeira vez que Rodrigo, que domina a arte da escultura em madeira, esculpiu dentes nesse material,após o aprendizado sobre anatomia dental e início de escultura das estruturas dentais em cera, no curso.
 


Os debates entre alunos e professor aconteceram após a apresentação, como forma de esclarecer algumas dúvidas e expor alguns outros conhecimentos por parte da platéia.
 
 
Parabenizo o grupo pela pesquisa, compreensão e iniciativa, além de assumirem a responsabilidade de expor e discutir fatos importantes da prótese desde a antiguidade até os dias atuais!
 







Em próximas postagens abordarei as apresentações dos grupos 2 e 3.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

BLOG DO PROFESSOR EDÉLCIO ANSELMO - 300.000 VISUALIZAÇÕES DE PÁGINAS

 
 
Hoje é um dia muito importante para o BLOG DO PROFESSOR EDÉLCIO ANSELMO, que completa, nesta data, 300.000 VISUALIZAÇÕES DE PÁGINAS

A idéia de criar um Blog, surgiu de uma conversa com meus filhos Marcus Vinícius e Cristiane, em junho de 2009 num encontro que tivemos em São Paulo.
Nesse encontro eu perguntei aos meus filhos o que achavam da idéia de criar um site com o objetivo de divulgar os meus trabalhos. De pronto, os dois, justificando com o meu gosto pela escrita, sugeriram que eu criasse um blog, uma forma mais dinâmica de interagir com o público que eu pretendia atingir.

Assim, em 03 de julho de 2009 nasceu o BLOG DO PROFESSOR EDÉLCIO ANSELMO voltado preferencialmente para a valorização do trabalho da Equipe de Saúde Bucal composta pelo Cirurgião Dentista, Técnico em Saúde Bucal, Auxiliar em Saúde Bucal, Técnico em Prótese Dentária, Auxiliar de Prótese Dentária e Técnico de Manutenção em Equipamento Odontológico, e divulgar assuntos relacionados com a Odontologia e Saúde Bucal Coletiva, além de promover troca de experiências e esclarecimentos de dúvidas entre profissionais da área .

A primeira postagem aconteceu no dia de seu nascimento, abordando o tema "A IMPORTÂNCIA DO TSB NA EQUIPE DE SAÚDE BUCAL" como forma de reverenciar o profissional que se constitue, juntamente com o ASB, no objeto principal do meu trabalho, a partir do momento que comecei a dedicar a minha vida profissional na capacitação e formação de recursos humanos auxiliares em odontologia.

CLIQUE AQUI PARA REVER A PRIMEIRA POSTAGEM

Aquele sonho formalizado em uma feliz realidade durante um diálogo em família, se transformou numa grande ferramenta de contato com os profissionais da odontologia do Brasil e de mais 68 países, o que fez atingir na data de hoje, 300.000 vizualizações de páginas dentre os mais de 600 posts publicados até hoje.

Mas, isso só foi possível graças ao acolhimento que meus amigos da odontologia propiciaram a este despretencioso meio de comunicação com a classe, a quem, em nome de dois dos mais recentes leitores, a TSB Socorro Moraes, do Estado do Pará e, também do CD Carlos Alberto Costa Vieira, Coordenador do Curso de Formação em Técnico em Saúde Bucal da Escola de Saúde Pública de Minas Gerais, Regional de Alfenas, e, ainda em nome do Professor Rogério de Mesquita Spínola da Escola Técnica Professor Makiguti, que foi o primeiro a constatar que eu estava chegando a essa marca,  agradeço de coração, o prestígio do apoio e reconhecimento de todos.

Por último, não poderia deixar de citar aquela que foi a grande responsável pela minha entronização na área de capacitação e formação para as profissões auxiliares em odontologia , o que permitiu a continuidade do meu trabalho após a aposentadoria e que me abriu os horizontes na área do ensino técnico e tem me proporcionado grandes alegrias e honras:

OBRIGADO, AMIGA E COMPANHEIRA DE JORNADA, MARIA REGINA DA SILVA  AMORIM!!!



quarta-feira, 24 de julho de 2013

ODONTOLOGIA HOSPITALAR - CONCEITOS

A Odontologia Hospitalar, apesar de não ser ainda uma especialidade odontológica, vem paulatinamente incorporando-se às ações hospitalares de grandes hospitais, cujos gestores, cônscios da importância dessas ações, reconhecem a necessidade das práticas odontológicas para a recuperação mais rápida e eficaz em pacientes internados com doenças sistêmicas.
Porém, muitos profissionais da Saúde Bucal ainda desconhecem o que é realmente a Odontologia Hospitalar, cujo conceito vai muito além da Cirurgia e Traumatologia Buco Maxilo Facial.
Para que os meus leitores, possam compreender o alcance dessa área desenvolvida pela Equipe de Saúde Bucal, transcrevo abaixo, um texto do eminente Cirurgião Dentista Walmyr Ribeiro de Mello, Chefe da Equipe de Odontologia Hospitalar do Hospital Samaritano de São Paulo.

"A interação entre a medicina e as outras áreas da saúde têm se tornado um mecanismo eficaz na terapêutica instituída aos pacientes portadores de alterações sistêmicas; e as instituições de saúde têm aperfeiçoado cada vez mais os atendimentos de alta complexidade, exigindo equipes multidisciplinares no atendimento aos doentes.

A Odontologia Hospitalar tem ocupado espaço importante na resolução de patologias que envolvem múltiplos órgãos, onde a cavidade oral pode apresentar alterações que levam ao comprometimento do sucesso da terapia médica. Atualmente poucos são os hospitais que têm em seu staff profissionais da odontologia que desenvolvem tratamento clínico e de medicina oral; e, aqueles que dispõem deste serviço passam a oferecer um tratamento mais completo aos seus clientes, proporcionando a assistência multidisciplinar.

A literatura e a experiência em odontologia clínica hospitalar mostram a importância desta área no atendimento a pacientes das diversas especialidades médicas como: cardiologia, pneumologia, oncologia, hematologia, nefrologia, neurologia, pediatria, otorrinolaringologia, infectologia, entre outras.

A odontologia hospitalar e a medicina oral têm por objetivo diagnosticar e tratar alterações bucais decorrentes de quimio e radioterapia, pacientes imunossuprimidos (ex.: pacientes HIV+), entre outras patologias que podem apresentar repercussões na cavidade oral. O preparo do paciente para procedimentos cirúrgicos complexos como cirurgias cardíacas e transplantes de órgãos e tecidos, onde as infecções oportunistas podem ser fatais, exigem a avaliação da condição bucal e remoção dos focos infecciosos, sejam eles: cáries, doenças periodontais, restos radiculares infectados, e outras infecções da boca; estes cuidados levam à uma recuperação mais rápida do paciente, com menor uso de antibióticos e hemoderivados, redução do tempo de internação, diminuição da morbidade e mortalidade."

Tive a oportunidade de conhecer o Dr. Walmyr, no Simpósio de Odontologia
Hospitalar do Hospital Samaritano em 2012 em São Paulo, e, desde então, venho aprendendo muito, com ele, sobre o papel importante que o cirurgião dentista exerce na recuperação de pacientes com doenças sistêmicas graves, internados nos

Walmyr, ao lado de outros expoentes como: Paulo Sérgio da Silva Santos, Frederico Buhatem Medeiros,  Marcelo Marcucci, Keller de Martini, Luiz Alberto Valente Soares Junior, Elaine Cristina Cappellano, Vanessa Tilly Moutinho da Silva e Tais Bianca Brandão vem se tornando os grandes responsáveis da odontologia paulista, por difundir em vários eventos nacionais, a importância da incorporação de EqOH na atenção terciária em saúde bucal.
Vale lembrar ainda a abertura que esses grandes mestres tem dado para nós que defendemos a inclusão do Auxiliar e Técnico em Saúde Bucal na Equipe de Odontologia Hospitalar, o que foi demonstrado no Simpósio de Odontologia Hospitalar do 16º CIOLP - Congresso Internacional de Odontologia do Litoral Paulista, oportunidade em que a TSB Daniele Amorim Tavolvaro, nossa ex-aluna, participou como simposiasta e da mesa de debates do referido simpósio.
Espero, com essa postagem, através do texto do Dr. Walmyr, poder contribuir para a divulgação desse campo de trabalho para o cirurgião dentista.

Parabéns, Dr. Walmyr, pelo excelente trabalho à frente da EqOH do Hospital Samaritano e pela abnegação no exercício dessa área de atuação na odontologia!

domingo, 21 de julho de 2013

VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL DO ASB E TSB: O PISO PROPOSTO PELO PL 1167/2011 É SUFICIENTE?

Desde que publiquei em 28 de junho de 2011 e 23 de janeiro de 2012, dois textos referentes ao projeto de lei 1167/2011 que estabelece o piso salarial para o ASB (Auxiliar em Saúde Bucal e TSB (Técnico em Saúde Bucal) os referidos textos vem sendo os mais acessados entre todos já publicados neste Blog.
Por conta desse fato, diariamente, ASB's e TSB's de todos os estados brasileiros tem me questionado através de comentários no próprio Blog ou por e mail, qual o estágio em que se encontra tal projeto de lei, e na medida do possível tento responder, não em sua totalidade, por causa da enorme quantidade de solicitações.
Esses questionamentos, se devem, aos inúmeros problemas encontrados no setor público e privado, por falta de uma politica salarial e valorização profissional que levam esses profissionais a ter um sub-emprego, totalmente incondizente com a preparação técnico científica exigida para o exercício dessas nobres profissões da saúde que tem a obrigatoriedade de inscrição nos Conselhos Regionais de Odontologia e registro no Conselho Federal de Odontologia, sem o que são enquadrados como exercício ilegal da profissão.

Para refrescar na memória de meus consulentes e de todos os que acessam estas duas postagens, transcrevo abaixo o teor do PL 1167/2011:

Altera a Lei nº 11.889, de 24 de dezembro de 2008, que regulamenta o exercício das profissões de Técnico em Saúde Bucal - TSB e de Auxiliar em Saúde Bucal - ASB, para instituir piso salarial profissional nacional.

O Congresso Nacional decreta:

Art. 1º Esta Lei insere parágrafos na Lei nº 11.889, de 24 de dezembro de 2008, para instituir piso salarial profissional nacional para as profissões de Técnico em Saúde Bucal - TSB e de Auxiliar em saúde Bucal ASB.

Art. 2º Fica acrescido ao art. 5º da Lei nº 11.889, de 24 de dezembro de 2008, o seguinte § 3º:

§ 3º Para uma jornada de oito horas diárias e quarenta semanais, será devido ao Técnico em Saúde Bucal - TSB o piso salarial de R$ 1.020,00 (Um mil e vinte reais) mensais, a ser reajustado anualmente, no mês correspondente ao da publicação desta lei, pela variação acumulada do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), da Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nos doze meses imediatamente anteriores.

Art. 3º Fica acrescido ao art. 9º da Lei nº 11.889, de 24 de dezembro de 2008, o seguinte parágrafo único:

Parágrafo único. Para uma jornada de oito horas diárias e quarenta semanais, será devido Auxiliar em Saúde Bucal - ASB o piso salarial de R$ 770,00 (Setecentos e setenta reais) mensais, a ser reajustado anualmente, no mês correspondente ao da publicação desta lei, pela variação acumulada do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), da Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nos doze meses imediatamente anteriores.

Art. 4º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação."




 
Pois bem, além de não ter sido aprovado, esse projeto de lei está sendo alvo de muitas críticas por uma grande parte daqueles que buscam a valorização desses profissionais, principalmente neste momento em que está prestes a acontecer a 4ª CONPA - CONFERÊNCIA NACIONAL DAS PROFISSÕES AUXILIARES EM ODONTOLOGIA, convocada pelo Conselho Federal de Odontologia através da  DECISÃO CFO-14/2013, e que será realizada nos dias 15 e 16 de agosto de 2013 em Brasília.


Os objetivos principais desse evento concentram-se na necessidade de se rediscutir diversos aspectos relativos ao exercício das respectivas profissões como forma de se aprimorar a participação dos profissionais auxiliares na promoção, proteção e recuperação da saúde bucal em sintonia com o Cirurgião Dentista. A busca da valorização desses profissionais também é parte integrante desse processo de debates.
Pela necessidade de permitir o envolvimento de profissionais de todo o Brasil, o CFO determinou a todos os CRO's a realização das Pré- Conferências no sentido da elaborar documentos consolidados com propostas apresentadas, debatidas e aprovadas pelas plenárias regionais, que irão subsidiar a construção do documento base a ser discutido pelos grupos na Conferência Nacional que resultará no Relatório Final da 4ª CONPA. Este relatório terá a finalidade precípua de nortear as ações necessárias para o fortalecimento no exercício profissional das categorias afins.


Uma constante que que vem aparecendo nos relatórios finais das Pré-Conferências, converge para a revisão total do PL 1167 ou sua extinção e estabelecimento de um novo projeto que englobe várias reinvidicações da categoria. A explicação está no fato desse PL contemplar apenas o estabelecimento de um piso salarial, que de certa forma é baixo e que em algum tempo será superado pelo salário mínimo nacional, ou seja, o piso salarial será menor que o SMN.
Por outro lado há necessidade de se preocupar com outras questões que refletem em benefícios para a categoria, além do piso.

Transcrevo, abaixo o Documento Final da PRÉ CONPA estadual de São Paulo com as propostas extraídas nos debates dos grupos temáticos e aprovadas pela plenária, que juntamente com as propostas aprovadas pelas plenárias dos outros estados, comporão o Documento Base que será submetido aos grupos de trabalho da 4ª CONPA, após o que deverá ser votado afim de ser aprovado pela plenária final da conferência.


CARTA DE SÃO PAULO
Documento final da Pré Conferencia Estadual, realizada pelo Conselho Regional de Odontologia de São Paulo para a 4ª CONPA - Conferencia Nacional das Profissões Auxiliares em Odontologia.

                        O Conselho de Regional de Odontologia de São Paulo e sua Câmara Técnica de Técnico em Saúde Bucal e Auxiliar em Saúde Bucal, após convocação das profissões auxiliares em Odontologia, realizou a Pré Conferencia Estadual no dia 06 de julho de 2013, na sede do CROSP, estando presentes: 12 (doze) Técnicos em Saúde Bucal; 08 (oito) Auxiliares em Saúde Bucal e 06 (seis) Cirurgiões-Dentistas, conforme lista de presença em anexo, apresentando o seguinte relatório final: 

Introdução
                        “As condições da saúde bucal e o estado dos dentes são sem dúvida, um dos mais significativos sinais de exclusão social. Seja pelos problemas de saúde localizados na boca, seja pelas imensas dificuldades encontradas para conseguir acesso aos serviços assistenciais, dentes e gengivas registram o impacto das precárias condições de vida de milhões de pessoas em todo pais”. (CNSB –Brasília - DF – agosto/2005) 
                        Segundo Pezzato (2001), diversos trabalhos apontam para a importância do pessoal auxiliar odontológico, pois acredita-se que para um modelo de atenção em saúde bucal atender à realidade da população brasileira, faz-se necessário a utilização do trabalho em equipe. Porém o faz frequentemente somente na perspectiva do aumento da produtividade, racionalização do trabalho e diminuição dos custos, não agregando valor à inserção desses trabalhadores ao processo de trabalho.
                        Em relação as citações acima, mesmo tendo passado mais de uma década, não temos publicação de mudança neste panorama. As profissões Auxiliares em Saúde Bucal (ASB) e principalmente o Técnico em Saúde Bucal (TSB) ainda vivem conflitos para o exercício das suas competências.  
                        A Lei 11.889, de 24/12/2008, que regulamenta o exercício profissional, deixa lacunas de interpretações na sua redação, que apresentam a falsa impressão que estes profissionais não têm história e competência, gerando a ausência de uma definição precisa do seu papel dentro da equipe de saúde bucal, impactando diretamente no acesso aos serviços, no aumento da produtividade, na diminuição de custos, na organização do processo de trabalho da equipe de Saúde Bucal.  
                        Assim, entende-se como urgente o reconhecimento e valorização destes trabalhadores. 
                        Os profissionais TSB’s e ASB’s de São Paulo, reunidos na Pré CONPA, retomaram importantes debates já realizados na 3ª Conferencia Nacional de Saúde Bucal (2005) e na 3ª CONPA (2002).  

                        Em observância à temática apresentada pela 4ª CONPA, qual seja “Perspectivas para o Exercício das Profissões Auxiliares da Odontologia no Brasil”, o debate da Pré Conferencia foi conduzido com uma dinâmica de três grupos, abordando os seguintes aspectos:
    
TÉCNICO EM SAÚDE BUCAL E AUXILIAR EM SAÚDE BUCAL

  1. Formação;
  2. Legislação e
  3. Mercado de trabalho e Perspectivas para o futuro.
                        Dessa forma, encaminhamos abaixo as propostas e sugestões definidas, por unanimidade, pelo Plenário da Pré Conferencia Estadual do CROSP: 

  1. Formação
1.1.        Há a necessidade do Conselho Federal de Odontologia e dos Conselhos Regionais de Odontologia comunicarem, reiteradamente, o Cirurgião-Dentista, através de ofício com aviso de recimento e via mensagem eletrônica (e-mail):

a)    a cerca da obrigatoriedade do cumprimento da Lei 11.889/2008 que regulamenta as profissões e define que o nome representativo das profissões passa a ser “Auxiliar em Saúde Bucal” (ASB) e “Técnico em Saúde Bucal” (TSB);

b)    Os “atendentes", "assistentes" e "secretárias" que exercerem as atividades de competência exclusiva de ASB ou TSB, obrigatoriamente, devem estar inscritos no Conselho Regional de Odontologia da jurisdição em que exerce atividade, observando as exigências legais (ser possuidor de certificado registrado pelo mesmo com carga horária mínima de 300 horas).  

1.2.        Há a necessidade dos Conselhos Regionais realizarem levantamento do número de profissionais ASB’s e TSB’s que atuam em clínicas e consultórios, sem formação e registro no CRO, viabilizando um maior controle e a efetiva regularização profissional. 

1.3.        Há a necessidade do Conselho Federal de Odontologia rever com urgência a legalidade e legitimidade dos cursos de ASB - 300 horas, conforme abaixo mencionado:

a) Curso a distância via internet (EAD), sendo necessária a modificação desta modalidade para um formato semipresencial, onde os alunos deverão cumprir a carga horária prático laboratorial e as provas finais na instituição;

b) Redistribuição da carga horária no conteúdo teórico-prático, em relação ao tempo de estágio. 

1.4.        Há a necessidade de criar Comissão de Ensino no Conselho Federal de Odontologia e nos Conselhos Regionais, que sejam específicas para a formação de ASB e TSB; que contemplem coordenadores e formadores (CDs, TSBs e ASB’s) de cursos de escolas públicas e privadas, visando uniformizar, discutir e definir currículos mínimos e campo de estágio dos diversos formatos de cursos de qualificação de ASB e de formação de ASB e TSB, bem como todas as questões pertinentes à formação e educação continuada do ASB e TSB; 

1.5.        Há a necessidade do Conselho Federal de Odontologia normatizar e garantir a participação do TSB no corpo docente, na qualidade de professor assistente, em curso de qualificação e formação do TSB e ASB. 

  1. LEGISLAÇÃO
2.1.        Solicitar a revisão da Lei nº 11.889/2008, que regulamenta o exercício profissional de Técnico em Saúde Bucal – TSB e de Auxiliar em Saúde Bucal – ASB, nos pontos alegados pelas categorias como:

a)    Definir a competência contida no Art. 5º, inciso V – fazer a remoção de biofilme, de acordo com a indicação técnica definida pelo cirurgião-dentista;

b)    Definir que os Técnicos em Saúde Bucal são competentes para realizar moldagens e também escultura de restaurações, como já exercia profissionalmente há muitos anos; 

2.2.        Solicitar ao Ministério da Saúde (MS), Conselho de Secretários Municipais e Estaduais de Saúde (COSEMES) e Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) a criação de Nota Técnica sobre a definição de “Biofilme”, citado no Art. 5º inciso V da Lei 11.889/2008; 

2.3.        Há a necessidade do Conselho Federal de Odontologia criar Resolução que esclareça as atribuições do ASB e TSB, inclusive sobre a vedação de atuação na área de ortodontia; 

2.4.        Exigir que o registro profissional dos ASB’s e TSB’s , no Conselho Regional de Odontologia sejam emitidos somente a profissionais ASB’s e TSB’s formados por Instituição devidamente regulamentadas; 

2.5.        Solicitar ao CFO que na proposta de revisão da Lei 4324/64 que institui os Conselhos, seja inserido que os profissionais ASB’s e TSB’s possuem o direito de voz e voto dentro dos Conselhos de Odontologia, podendo ser eleitos; 

2.6.        Solicitar ao CFO que os espaços de representação de ASB e TSB dentro do Conselho Federal e dos Regionais sejam democratizados; 

2.7.        Solicitar ao CFO normatização que garanta que as Câmaras e Comissões representativas de ASB’s e TSB’s sejam compostas e presididas por ASB’s e TSB’s; 

2.8.        Solicitar ao Conselho Federal de Odontologia o encaminhamento ao Congresso Nacional de um Projeto de Lei referente à valorização dos profissionais ASB e TSB, no que diz respeito:

a)     Piso salarial e jornada de trabalho de 30h.;

b)    Adicional noturno;

c)    Adicional de horas extraordinárias;

d)    Banco de horas;

e)    Auxílio-creche;

f)     Adicional de insalubridade.

2.9.        Solicitar ao CFO que normatize e fiscalize através dos CRO’s os cursos de ASB no que tange à carga horária mínima e grade curricular que contemplem as competências da Lei 11889/2008; 

2.10.     Solicitar que os Conselhos Regionais e Federal promovam encontros e espaços de debates dos ASB’s e TSB’s no âmbito Municipal, Estadual e Federal.
 

  1. MERCADO DE TRABALHO E PERSPECTIVAS PARA O FUTURO
3.1.        Incluir o ASB/TSB nas equipes de Odontologia Hospitalar, visto que nos dias de hoje os procedimentos de prevenção em Saúde Bucal nas UTI’s e Enfermarias são executados por técnicos e auxiliares de Enfermagem subtreinados pelo cirurgião-dentista para o exercício dessas funções enquanto o ASB/TSB saem dos cursos obrigatórios pela Lei 11.889/2008, altamente capacitados para executar ações educativas e preventivas;
 
3.2.        Promover gestões junto às Prefeituras Municipais no sentido de incluir a modalidade II (Estratégias de Saúde da Família) – Equipe de Saúde Bucal com TSB, com opção de jornada, como por exemplo o Programa de Qualidade e atenção básica; 

3.3.        Exigir no serviço público nas 3 esferas (Municipal, Estadual e Federal) a criação de cargos de ASB e TSB, no plano de cargos, carreira e salários, bem como adequar o nome representativo da profissão de acordo com a Lei 11889/2008, nos locais onde já existem os cargos; 

3.4.        Fazer cumprir a Lei 11.889/2008 nos editais de concursos públicos e processos seletivos exigindo como requisitos a capacitação e formação necessárias e inscrição e registro obrigatórios, respectivamente nos CRO’s e CFO para os três níveis: Federal, Estadual e Municipal; 

3.5.        Os Conselhos Regionais devem promover uma fiscalização eficiente como forma de cumprimento aos preceitos da Lei 11.889/2008. 

3.6.        Incentivar a criação de pólos de Educação permanente para ASB e TSB em todos os estados.
 
 
 São Paulo, 06 de julho de 2013.       
 
 
CONSIDERAÇÕES FINAIS DO PROFESSOR EDÉLCIO ANSELMO 
 
A Lei nº 11.889/2008, veio, sem sombra de dúvidas, promover um grande avanço, ao regulamentar as profissões de ASB e TSB. Outrossim, o PL nº 1167/2011 de autoria da Deputada Federal Gorete Pereira, apesar de estabelecer um piso salarial para esses profissionais, este ficou muito aquém do valor que possa contemplar as devidas competências e atribuições permitidas ao ASB e TSB, além de, se aprovado, haver a possibilidade de, em pouco tempo, esse piso ser suplantado pelo salário mínimo federal.
Mais ainda, o PL deixa de se referir sobre ítens importantes como jornada de trabalho, adicional de insalubridade e periculosidade, e outros benefícios.
 
Portanto, vejo como temerária, a aprovação do PL nº 1167, que, na minha concepção, deve ser arquivado, com a consequente apresentação de novo projeto que possa incluir propostas que realmente promovam a valorização devida dos ASB's e TSB's.
 
E nada melhor do que a 4ª CONPA, que vai se transformar num evento histórico, com a participação dos próprios interessados na construção de um plano de valorização real e irreversível, que possa consolidar as profissões auxiliares em Odontologia, e que venha a induzir a instalação de um fórum permanente de debates com vistas a colocar o ASB e TSB num processo contínuo de valorização profissional!!!
 
Até a 4ª CONPA!!!
 



sexta-feira, 19 de julho de 2013

CURSO DE APERFEIÇOAMENTO E INSTRUMENTAÇÃO EM CIRURGIA E IMPLANTE PARA ASB E TSB


A Biológica - Consultoria em Saúde, promoverá o Curso de Aperfeiçoamento e Instrumentação em Cirurgia e Implante, sob a Coordenação da Dra. Lusiane Borges. O curso tem como público-alvo, os Auxiliares e Técnicos em Saúde Bucal, com o objetivo de proporcionar o aprimoramento profissional do ASB e TSB, nessas especialidades odontológicas. 

Veja no folder abaixo, mais informações e meios de inscrição no curso.

SITE DO CROSP DIVULGA NOTÍCIA SOBRE A PRÉ-CONPA

Transcrevo, abaixo a reportagem publicada no site oficial do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo sobre a realização da PRÉ-CONPA paulista realizada com o objetivo da elaboração de um documento com as propostas dos Auxiliares e Técnicos em Saúde Bucal do estado, documento esse já entregue ao CFO e que serão inseridas no documento-base juntamente com as propostas dos outros estados para análise e debates nos grupos e votação pela plenária da 4ª Conferência Nacional das Profissões Auxiliares em Odontologia, que será realizada nos dias 15 e 16 de agosto de 2013 em Brasília.

18/07/2013
Pré-CONPA discute cenário profissional dos Técnicos e Auxiliares em Saúde Bucal

Em 6 de julho, na sede do CROSP, aconteceu a pré-IV CONPA (Conferência Nacional das Profissões Auxiliares em Odontologia), evento que acontecerá nos dias 15 e 16 de agosto, em Brasília (DF), cujo tema é “Perspectivas para o Exercício das Profissões Auxiliares da Odontologia no Brasil”. O encontro resultou na elaboração da Carta de São Paulo, estabelecendo as expectativas da classe. O documento será reunido a outros dos demais Estados e as propostas agrupadas por eixos serão votadas na plenária final da Conferência.
O debate girou em torno de três eixos principais: formação, legislação e mercado de trabalho dos técnicos em Saúde Bucal (TSBs) e dos auxiliares em Saúde Bucal (ASBs). Compareceram à discussão representantes das duas categorias e cirurgiões-dentistas ligados à área de formação desses profissionais.
No dia 4 de julho, na APDESP (Associação dos Técnicos em Prótese Dentária do Estado de São Paulo), foi realizada a pré-CONPA dos TPDs e APDs, que ensejou um documento no qual também foram alinhados objetivos da classe em documento oficial.
A Dra. Maria Lucia Zarvos Varellis, conselheira do CROSP, ressalta a relevância da troca de ideias. “As questões expostas na Carta de São Paulo foram discutidas uma a uma pelos presentes, possibilitando conhecer os anseios de todos. A revisão de alguns aspectos pode melhorar o exercício profissional dos TSBs e ASBs, influenciando diretamente no dia-a-dia dos cirurgiões-dentistas. A iniciativa do CFO foi muito interessante, pois permite determinar o cenário das atividades odontológicas no nosso país, com as peculiaridades de cada região”.
Um ponto que vale salientar é a atitude do CROSP em incluir os coordenadores e professores de cursos voltados a esses profissionais no processo de formatação do documento. “Acredito que isso contribui para um produto final mais completo.”, diz Edelcio Francisco Anselmo, coordenador dos Departamentos de Odontologia e Saúde Coletiva e de Apoio ao Auxiliar e Técnico em Saúde Bucal da APCD (Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas) de Santos, docente e conferencista de cursos de qualificação e formação de profissionais auxiliares da Odontologia.
Celina P. S. Lopes, técnica em saúde bucal e presidente de Câmara Técnica de Auxiliares e Técnicos em Saúde Bucal do CROSP, evidencia o peso da redação da Carta de São Paulo para os profissionais da área. “A Câmara Técnica agradece a participação de todos na reunião pré-conferencia, pois juntos protagonizamos uma parte fundamental da história dos ASBs e TSBs do Estado de São Paulo!”.
Confira a íntegra das propostas debatidas, que serão votadas no dia 16 de agosto, clicando aqui.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

UNASP ABRE PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE CD E ASB



O UNASP - CENTRO UNIVERSITÁRIO ADVENTISTA DE SÃO PAULO publicou edital de Processo seletivo para preenchimento de vagas para Cirurgião Dentista e Auxiliar em Saúde Bucal para atuação na Estratégia de Saúde da Família (PSF) no muncípio de São Paulo.


CARGOS

CD - CIRURGIÃO DENTISTA
Requisitos:
Curso Superior de Odontologia
Registro no CRO (Conselho Regional de Odontologia)

Ser brasileiro nato ou naturalizado ou estrangeiro com visto permanente;

Vagas: 2

Carga horária: 40 horas

Remuneração bruta: R$ 7.438,11

Benefícios:
Convênio Médico;
Cesta Básica;
Vale transporte;
Vale refeição;
Seguro de vida;
Auxílio Creche para mães com crianças menores de 6 (seis) anos.


ASB - AUXILIAR EM SAÚDE BUCAL


Requisitos:

Ser maior de 18 (dezoito) anos;

Ter concluído o Ensino Médio;

Ter concluído o curso que os habilite a desempenhar a respectiva função (Curso de Qualificação em Auxiliar em Saúde Bucal);

Ter registro de habilitação profissional junto ao CRO;

Ser brasileiro nato ou naturalizado ou estrangeiro com visto permanente;

Vagas: Banco de reserva

Carga horária: 40 horas

Remuneração bruta: R$ 2.084,06

Benefícios: Convênio Médico;
Cesta Básica;
Vale transporte;

Vale refeição;
Seguro de vida; 
Auxílio Creche para mães com crianças menores de 6 (seis) anos.

Prazo para cadastro de currículo: 19/07/2013

 
Edital completo e cadastro de currículo: acesse aqui!